Enactus USP - São Carlos

DULOCAL

1/1

    Diferentemente dos projetos Enactus mais típicos, o duLocal surgiu a partir de uma proposta de parceria vinda de um empreendedor: Felipe Gasko é formado em Engenharia Ambiental na Escola Politécnica de São Paulo e possui uma trajetória empreendedora espetacular. Já morou no exterior e trabalhou alguns anos na Endeavor, onde obteve muito aprendizado. Desde sempre foi apaixonado por impacto social, e foi a partir dessa paixão que ele decidiu criar um negócio social, o duLocal.

    Com o objetivo do projeto estruturado, Felipe identificou que São Carlos era uma cidade com muito potencial: identificou alguns pontos de produção de orgânicos de relevância na cidade, mas que possuem certa dificuldade de escoamento dos produtos; notou que, apesar do recente título de “Vale do Silício Brasileiro”, a cidade de São Carlos possui inúmeras disparidades, e que a exclusão socioeconômica dos bairros periféricos (Cidade Aracy, Zavaglia…) é evidente; por fim, percebeu que a população da cidade poderia ser um potencial público consumidor, em busca de uma alimentação de qualidade e equilibrada.

    Quando demos início à nossa atuação, o duLocal já atendia a alguns pedidos semanais. A Quinta da Boa Vista foi a primeira horta de orgânicos prospectada por Felipe, devido a uma indicação de uma colega. Segundo ele, a horta possui um potencial de produção que pode atender a uma demanda suficientemente grande. Além disso, notou certas dificuldade de escoamento dos produtos, o que prejudica a geração de renda para a agricultura familiar. Assim, decidiu que o duLocal poderia causar um impacto positivo muito significativo no local.

    No início na atuação do time, o projeto já contava também com uma cozinheira: a Miriam. Felipe fez algumas visitas a alguns bairros periféricos da cidade, e com a indicação de algumas pessoas da comunidade, conheceu Miriam. Ela mora num bairro carente, o Jardim Zavaglia, e é apaixonada por culinária. Identificada a sua paixão e motivação, Felipe deu início às capacitações culinárias, feitas em parceria com uma chefe profissional, Rafita Soldam. Miriam já dominava muitas habilidades culinárias e já estava quase alcançando a independência nas produções, que ocorrem todas as quartas, quintas e sextas, pela manhã, visando fornecer as marmitas do almoço do respectivo dia.

    O projeto tem como objetivo ligar e gerar valor para os três elos da cadeia: a produção, a preparação e a venda. Os produtores locais, que enfrentam a competitividade desleal dos grandes concorrentes, são responsáveis por cultivar e fornecer uma variedade de alimentos orgânicos para cozinheiras da periferia. Apesar das adversidades geradas pela renda escassa, elas que amam o que fazem e por isso são capacitadas por uma chef profissional, de modo que dominem as mais variadas técnicas de cozinha, para que produzam refeições orgânicas e naturais para os consumidores. Estes, por sua vez, enxergam o propósito do negócio social e ao mesmo tempo buscam uma refeição de qualidade e melhores hábitos alimentares. Ao adquirirem uma refeição duLocal, eles estão gerando valor para toda a cadeia, desde os produtores até si próprios. A atuação do time se dá visando a potencializar as vendas e no acompanhamento das cozinheiras. Hoje o projeto se expandiu para São Paulo e tomou grandes proporções, impossibilitando a continuação de atuação do nosso time.